segunda-feira, 21 de junho de 2010

Confirmações

Estava ali sentada, sozinha, com as mãos nos olhos, tentando esconder-se de si mesma. Como pôde ser tão vulnerável, tão fora de si? Onde o seu "eu" normal tinha ido parar? Havia morrido? Se escondido? Não sabia ao certo, mas estava arrependida. Queria voltar atrás e ser mais forte, mais dura, mais grossa, e menos meiga. Menos delicada, menos menina. Devia ter sido sensata, ter ouvido a cabeça e não o coração. Então não pôde mais segurar e as lágrimas rolaram por suas mãos. Lembrava de cada instante com arrependimento, nada mais tinha valor. Ela tinha perdido o seu próprio valor, nem mesmo sua coragem, sua vontade existia mais. Perdeu-se no meio do caminho.
Seus pensamentos eram sempre os mesmos "por que eu deixei?", "cadê a minha dignidade?", "eu não tenho mais vontade?". De repente ouviu passos. Inclinou um pouco a cabeça e conseguiu ver duas pernas se aproximando. Conhecia bem aquele andar, sabia onde ele iria chegar, e quais os capítulos estavam por vir. Criou coragem e olhou para cima, encontrando sua fonte de alegria: um sorriso encantador. Seus olhos brilharam e as lágrimas sumiram num piscar de olhos (literalmente). Em menos de dois segundos, teve a certeza de que iria errar de novo, mas que estava certa do que estava fazendo.


Um comentário:

  1. Texto seu Amandinha? Ameiiiiiii...
    Lindo...
    Beijos Prima.

    Pompi.

    ResponderExcluir